Recapitulando. Parte 2

Voltando naquele último menino que fiquei na festa. Começamos a conversar pelo whatsapp e ele sempre muito fofo comigo. Decidi então ser fofo com ele e tentar a sorte, vai que é um potencial namorado. Conversa vai, conversa vem combinamos de sair.

Era pra ser um cinema, mas acabou que estava uma fila enorme e nem fomos. Ficamos no shopping mesmo e fomos jantar juntos. Achei ele meio folgado quando fomos fazer nossos pedidos e não sei porque acabei pagando a conta dele. Conversamos e por mais que ele falasse, ele era bem quieto, não tava fluindo muito bem. Decidimos is pra uma praça perto do shopping pra poder conversar mais e ficar. A conversa fluiu um pouco mais e quando ficou tarde falei que o deixava no metro. Fiz ele pagar o estacionamento, hahahah não ia sair no prejuízo, além do mais ele atrasou 40 minutos. Deixei ele no metro e fui embora.

Continuamos nos falando e marcamos de nos ver de novo. Dessa vez um parque. No dia anterior ao encontro ele me diz que vai pra uma balada acompanhado. Okay, penso eu, ele vai com amigos, tudo bem.

No dia do encontro mando mensagens e ele não responde. Acabei indo pro local do encontro, pois vai que ele ficou sem bateria, mas fico esperando e esperando e esperando… depois de esperar uma hora mando uma mensagem agradecendo o bolo que ele me deu e vou pra Paulista ver se tem algum filme pra eu assistir.

Nesse momento de raiva dele meu Tinder apita e um menino super fofo começa a convesar comigo. Nisso meu suposto encontro decide acordar e vem me pedir desculpas e fala que não deveria ter ido sem a confirmação dele. Quando pergunto, apenas por perguntar e um pouco de insegurança, se ele tinha ficado com muitos na festa (sim ele era bem bonito) ele fala que não porque foi acompanhado. Quando digo que amigos não me impedem de ficar numa festa ele fala que não foi acompanhado de amigos e sim de um amigo. O qual mantinha uma relação de amizade e sexo casual,mas que me garantiu que era nada de mais.

Respondi okay e que ia absorver essa informação e não o chamei mais. Nisso ele também não me chama mais e percebo que era só eu que via algo mais naquelas conversas. Esse já era, penso comigo mesmo. Mas ainda tenho o fofo que começou a falar comigo no dia do bolo.

RPM

Recapitulando. Parte 1

Depois de um tempo. Bom muito tempo, tinha até esquecido que esse tumblr existia até receber um email do servidor hahhahaha. Volto a escrever sobre minha vida.

Depois de meu último rolo amoroso (não vou falar sobre ele, sorry) onde depois de um mês levei um fora por whatsapp com a justificativa de que não rolou química (quero matar o filho da puta pq ele é gostoso e fofo e um filho da puta; me perdoem as putas). Fiquei bem mal por causa disso e decidi num sábado de carnaval aceitar o convite de um amigo e ir comemorar o aniversário dele num bloco de rua e depois ir pra um bar.

De idas e vindas de um dia chuvoso, acabamos indo pra uma balada comemorar o níver do meu amigo. Na bad ainda, bebendo pra caralho acabei despirocando geral e até superei minha querida McMayara (teoria da branca de neve por que só ter um se eu posso ter sete…). Perto do fim da festa, meu amigo com o resto do pessoal e o novo namorado dele dizem que vão embora e me perguntam se eu vou junto. Como estava acompanhado na hora e não querendo me arrepender, como aconteceu no passado de não ter aceito um convite do boy do momento, fiquei na festa.

O menino depois de um tempo começou a ficar chato e larguei ele. No meu caminho pro bar, encontro um cara super lindo. Magya com Y maiúsculo e me aproximei e comecei a dançar com ele. dois segundos depois estávamos nos beijando num canto da festa. Okay, ele não beijava tão bem e parecia meio chapado, mas não tava muito seletivo naquele dia.

Depois de um tempo nisso, acabamos indo pro banheiro da festa e, bem, um boquete e um copo d’água não se nega a ninguém, e ele me falou q tinha que ir embora. Como também estava tarde pra mim, concordei com ele, trocamos número de celular e facebook e fomos cada um pro seu canto.

RPM

Faz tempo que não venho escrever nada, então vim contar o que aconteceu comigo esses dias. Já a algum tempo sem ficar com alguém (difícil achar homens que sejam gays e com aparência e intelecto razoáveis) comento esse fato com minha amiga e ela fala que vai me arranjar alguém.

Um tempo depois, numa, festa, cobro isso e meia hora depois um cara me agarra ao lado do bar. Não é muito bonito, nem muito gostoso. É normal, mas com uma pegada ótima rsrsrrs

Fico com ele algumas vezes durante a festa. Cada uma delas um exame tátil completo um no corpo do outro. Ali, em público mesmo.

Depois disso, fomos conversar, não consegui muito durante a festa, e eis que surge a bomba. Após fortes amassos vem uma ressaca moral, a revelação de que há outro na história e o fato de eu ser a despedida de solteiro.

Agora disso tudo, fico em dúvida de como pensar e até mesmo me portar. Fico chateado por ter sido considerado uma despedida de solteiro, mesmo quando pensava que poderia rolar algo mais sério, ou aceito que nada de sério poderia sair de uma festa onde a maioria das pessoas estava bêbada, incluindo eu, e que tudo que ocorresse ali ficaria ali?

Continuarei minha procura por um homem que possa e queira tentar algo sério comigo.

RPM

A vida é uma coisa estranha, assim como tudo relacionado a ela. não é possível compreendê-la, apenas vivê-la.

Ontem mesmo, fui almoçar com uma amiga e depois ao cinema com mais dois amigos. Tudo estava ótimo, falamos besteira, nos divertimos, …

Porém ao chegar em casa, veio aquela solidão. Aquele estranho sentimento de pertencer a nenhum lugar. Mesmo após passar o dia cercado de amigos esse sentimento aparece e você começa a pensar se algum dia terá com alguém aquele tipo de amizade que eles tem entre si e que você apenas observa.

Aquele tipo de amigo pra todas as horas, que sabe tudo da sua vida e você sabe tudo da dele, aquele que aparece pra dar um oi do nada na sua casa e ambos consideram isso normal. Não falo de um namorado, mas de um melhor amigo.

Uma vez achei que tivesse um, mas após um tempo nos distanciamos e paramos de nos falar. Mesmo naquela época eu não sentia liberdade o suficiente para compartilhar meus mais profundos segredos, coisa que também acho que ele não o fazia.

A realidade é essa. Continuo aqui, com alguns bons amigos, mas sem aquele alguém especial que te entende e que você pode confiar sempre.

RPM

O começo

Bom, como sempre não sei por onde começar. Fiz esse Tumblr com o intuito de escrever sobre o que se passa dentro da minha cabeça. Há muito tempo que quero escrever, mas nunca tive coragem nem disposição para isso. Hahaha hoje me deu a louca e resolvi escrever. Espero que essa experiência dê certo.

RPM